|BUSCA NOMES COMUNS|abcefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish
 Cirino

Cirino

O Chorozinho-de-papo-preto (Herpsilochmus pectoralis) é uma ave Passeriformes da família Thamnophilidae. Também conhecido como chorozinho-sinistro.

Seu nome científico significa: do (grego) herpö = que rasteja pelo; e lokhmë = matagal, bosque; e do (latim) pectoralis, pectus = peitoral, peito. - (Pássaro) com peitoral que rasteja pelo bosque.

Características

Tem em média, 11 a 12 cm de comprimento e o macho apresenta como característica marcante uma nódoa preta no peito, e a fêmea e o imaturo têm ventre cor laranja.

 Habita a caatinga arbórea, floresta semidecídua, florestas decíduas, florestas de galeria, florestas secundárias em estágio avançado de regeneração e restinga arbórea. Sua área de distribuição abrange os estados do Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia. Espécie ameaçado de extinção.

Parque Estadual das Dunas - Natal-RN

O Chorozinho-da-caatinga (Herpsilochmus sellowi) é uma ave Passeriformes da família Thamnophilidae.

É uma espécie endêmica do Brasil, ou seja, só existe no nosso país..

Seu nome científico significa: do (grego) herpö = que rasteja pelo; e lokhmë = matagal, bosque; e de sellowi = homenagem ao naturalista alemão e coletor de espécimes no Brasil no período de (1814-1831), Friedrich Sellow (1789–1831). - (Pássaro) de Sellow que rasteja pelo bosque.

Características

O chorozinho-da-caatinga é um pássaro com cerca de 12 cm de comprimento, apresentando dimorfismo sexual. O macho é mais acinzentado no dorso, com uma coroa negra, rodeada por um supercílio branco. A região ventral é esbranquiçada. A fêmea tem o dorso oliváceo, com a região ventral amarelada. Tanto o macho quanto a fêmea têm uma pequena faixa escura atrás do globo ocular.

 É uma espécie quase endêmica do Bioma Caatinga. Apesar da extensa área de distribuição, a espécie está classificada como Quase Ameaçada (NT), já que são relativamente poucos os locais onde essa espécie foi descrita. A gradativa perda de habitat faz com que a estimativa seja que a população esteja decaindo.

Parque Municipal da Cidade de Natal Dom Nivaldo Monte - Natal-RN.

A Choca-de-asa-vermelha (Thamnophilus torquatus) é uma ave Passeriformes da família Thamnophilidae.

Seu nome científico significa: do (grego) thamnos = arbusto; e -philos = que adora, que ama; e do (latim) torquatus, torques = com colar, colarinho, colar. - (Pássaro) com colar que adora os arbustos.

Características

Mede 14 centímetros. Para a identificação dessa espécie o píleo do macho é preto e peito da fêmea é liso. Habita matas de galeria, áreas de cerrado e caatinga.

Parque Municipal da Cidade de Natal, Dom Nivaldo Monte - Natal-RN.

O Batuiruçu-de-axila-preta (Pluvialis squatarola) é um Charadriiformes da família Charadriidae.

Também conhecido como batuíra, maçarico e tarambola-cinzenta.

Seu nome científico significa: do (latim) pluvialis = relativo a chuva. pluvial; e desgatarola = nome veneziano para uma espécie de tarambola. - Tarambola da chuva.

Características

Mede 30 cm de comprimento. Muito semelhante com o batuiruçu, difere na plumagem de descanso pela faixa ou linha superciliar branca menos evidente e de tons mais apagados. Em voo, destaca-se uma grande mancha negra sob as asas, nas axilares. Em plumagem pós e pré-nupcial, os machos exibem as partes inferiores anegradas, como seu congênere, mas o dorso é maculado em tons alvinegros sem amarelo algum, e o ventre é branco.

Forte dos Reis Magos - Natal-RN.

O Balança-rabo-de-chapéu-preto (Polioptila plumbea) é uma ave Passeriformes da família Polioptilidae.

Conhecido também como miador (Minas Gerais), gatinha (Ceará), sibite e caga-sebo (norte da Bahia).

Seu nome científico significa: do (grego) polios = cinza; e ptilon = plumagem; e do (latim) plumbum, plumbeus, plumbea = chumbo, cor de chumbo, da cor do chumbo. (Ave) com plumagem cinza da cor do chumbo.

Características

Mede cerca de 11 cm de comprimento. O macho tem o alto da cabeça preto-brilhante, o qual é cinza na fêmea.

Parque Municipal da Cidade de Natal Dom Nivaldo Monte - Natal-RN.

Domingo, 24 Abril 2016 14:18

Expedição Natal-RN, Abril 2016

Muito do que se conhece das aves da região nordeste deve-se ao esforço de cientistas e amadores encantados com os seres alados. Nas duas últimas décadas a observação de aves permitiu estudar a distribuição geográfica das espécies que ocorrem no Brasil e em especial na região Nordeste, que é o tema de nossa apresentação. Nos dias 27 de março a 1 de abril, o grupo Passarinhando esteve na cidade de Natal (RN) que é um paraíso em termos de paisagem e uma cidade com áreas interessantes para a prática da observação. Como é de costume, entramos em contato com observadores locais, porém em função da data, não conseguimos encontrar um guia para nossa investida. Porém isso não foi um empecilho, uma vez que realizamos uma preparação prévia com o estudo da avifauna local, com a coleta de informação das espécies que ocorrem na cidade e onde encontrá-los assim como dos respectivos sons.

A cidade possui um ciclo particular, onde amanhece muito cedo (o sol já está brilhando as 5h30min, porém escurece as 17 horas). Por isso, recomendamos que o visitante use bastante protetor solar, repelente e chapéu, afinal, o sol tropical queima mesmo não tendo a sensação devido ao constante vento que sopra. Sabendo disso, nos programamos para visitar os locais pré-escolhidos. Visitamos em primeira mão o campus central da UFRN, visto que este está localizado nas cercanias do Parque das Dunas. Aí, foi possível reconhecer espécies comuns à região de Curitiba, como os Anu-branco e Anu-preto, Suiriri, Bentevizinho-de-penacho-vermelho, Pardal etc.

O segundo contato foi as imediações do Forte dos Reis Magos, onde é possível registrar aves marinhas e algumas  no mangue. O importante nesse local é o cuidado com a segurança.

No dia seguinte, reservamos para conhecer o Parque das Dunas, que se localiza ao longo da orla da cidade. O Bosque dos Namorados é um ponto de encontro da população de Natal que gosta de praticar corrida, uma vez que esses atletas entram cedo no Bosque. Conversando com o administrador do Bosque fomos informados que as trilhas existentes nesta área de conservação estavam temporariamente fechadas, mas o local é bastante arborizado, conservado e agradável. 

Tivemos uma manhã dedicada à visita ao Parque da Cidade, que é uma área de preservação e por isso, é permitido somente percorrer o parque em seu trecho pavimentado. É bem servido de segurança e pode-se ficar tranquilo ao observar. Existem muitas trilhas percorrendo o parque, porém para acessá-los é necessário uma prévia autorização da administração do Parque e com a presença de guias. Entretanto, com um pouco de paciência é possível registrar muitas espécies que ai encontram um local para viver e se reproduzir, algumas delas, vulneráveis.

Domingo, 13 Março 2016 17:10

Vira-pedras - Arenaria interpres

O Vira-pedras (Arenaria interpres) é uma ave Charadriiformes da família Scolopacidae. Também conhecido como maçarico-turco.

Seu nome científico significa: do (latim) harena, arenarius, arenaria = relativo a areia, aquele que habita a areia; e interpres = mensageiro. ⇒ Mensageiro da areia.

Características

Mede de 21 a 26 cm. e pesa de 84 a 190 g. Cabeça, pescoço, garganta, e peito pretos e branco, com partes inferiores brancas nos adultos, e marrom no imaturo. Apresenta uma faixa branca na asa que lhe confere uma característica marcante e diagnóstica quando em voo. Duas subespécies reconhecidas, sendo que a brasileira é Arenaria interpres morinella. Não apresenta dimorfismo sexual.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos Lenice Amaral e Osmar Zarpelão! Na segunda expedição ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe - Tavares-RS.

A Batuíra-de-coleira-dupla (Charadrius falklandicus) é uma ave Charadriiformes da família Charadriidae.

Seu nome científico significa: do (latim) charadrius = pássaro amarelado mencionado na Bíblia Vulgata (final do século 4); e de falklandicus = referente ou originário das ilhas Falkland ou Malvinas no Oceano Atlântico Sul. Pássaro amarelado das Falklands.

Características

Mede 19 cm de comprimento. Pode ser facilmente reconhecida pelo duplo colar peitoral, que dá origem ao seu nome. Visitante meridional incomum encontrado no Rio Grande do Sul. Durante o inverno, alcança o litoral sul de São Paulo.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos Lenice Amaral e Osmar Zarpelão! Na segunda expedição ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe - Tavares-RS.

Domingo, 13 Março 2016 15:49

Falcão-de-coleira - Falco femoralis

O Falcão-de-coleira (Falco femoralis) é uma ave Falconiformes da família Falconidae.

Também conhecido como cauré, gavião-de-coleira e gavião-pombo (São Paulo).

Seu nome científico significa: do (latim) falco com origem no (grego) phalkön = falcão; e do (latim) femoralis, femoral, femur = cobertura para a coxa, fêmur. Falcão com cobertura na coxa.

Características

 

Ambos os sexos são semelhantes, sendo a fêmea é maior do que o macho. O macho mede entre 35 e 38 centímetros e pesa entre 208 e 305 gramas. A fêmea mede entre 43 e 45 centímetros e pesa entre 271 e 460 gramas. Espécie esbelta, de asas e cauda bastante longas. A cabeça, testa, coroa nuca e manto são cinza ardósia com as bordas das penas brancas. Bochechas e garganta são brancas, separados por uma listra malar escura. Possui largas faixas supra-oculares brancas ligando-se na nuca onde sua coloração torna-se amareladas e abaixo, uma faixa cinza-ardósia terminando nas laterais da cabeça. A cauda é escura, finamente barrada com cinco faixas brancas e faixa terminal branca. Na asa aberta nota-se orla posterior nitidamente esbranquiçada, secundárias com larga ponta branca, o que é bem pronunciado em voo. As penas rêmiges são enegrecidas. Nas partes inferiores apresenta peito branco e o ventre escuro apresenta fino barrado com as penas apresentando as margens ou bordas brancas. O crisso e os calções são castanhos. O bico é cinza escuro com cere amarelo. Os olhos são marrom escuro com anel periocular amarelo. Tarsos e pés também são amarelados.
O imaturo apresenta as partes superiores na cor castanho escuro com o peito manchado e sobrancelha mais clara.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos Lenice Amaral e Osmar Zarpelão! Na segunda expedição ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe - Tavares-RS.

Domingo, 13 Março 2016 15:16

João-da-palha - Spartonoica maluroides

O João-da-palha (Limnornis curvirostris), também conhecido como junqueiro-de-bico-curvo,  é uma ave Passeriformes da família Furnariidae.

Seu nome científico significa:​ (pássaro do pântano de bico curvado)

Características

Mede 17cm de comprimento. A espécie é semelhante à Curutie  (Certhiaxis cinnamomeus) que vive nos mesmos locais. Porém, ao contrário deste essa espécie possui uma nítida faixa supra-ocular branca. Ocorre em banhados costeiros com predominância de vegetação paludícola, como as ciperáceas Scirpus californicus eSchoenoplectus californicus. Vive geralmente em pares, onde forrageia ativamente na vegetação.

Espécie endêmica do sul da América do Sul, ocorre nos campos do nordeste da Argentina, leste do Uruguai e sul Brasil, neste último na região litorânea do Rio Grande do Sul e extremo sul de Santa Catarina.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos Lenice Amaral e Osmar Zarpelão! Na segunda expedição ao Parque Nacional da Lagoa do Peixe - Tavares-RS.

Página 6 de 16

Temos 175 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.