|BUSCA NOMES COMUNS|abcdefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish
 Cirino

Cirino

Quinta, 17 Dezembro 2015 09:44

Macuquinho - Eleoscytalopus indigoticus

O Macuquinho (Eleoscytalopus indigoticus) é uma ave Passeriformes da família Rhinocryptidae.

Conhecido também por macuquinho-perereca, já que sua vocalização faz lembrar um som emitido por diversos anfíbios. É também uma espécie de tapaculo relativamente difícil de se observar, pois vive em ambientes escuros e densos no sub-bosque, raramente se expondo e dessa forma protegendo-se de predadores.

Seu nome científico significa: do (grego) heleos = pântano; e Scytalopus = referente ao gênero Scytalopus (Gould, 1837), pé de vara; e do (latim) indigotica, indigoticus, indicum= da cor do índigo, azul índigo, azul. ⇒ Tapaculo do pântano azul índigo ou (ave do) pântano azul índigo com pé de vara. A palavra indigoticus tem origem no idioma (grego)indikon que significa índigo.

Características

Mede aproximadamente 11 cm de comprimento, semelhante ao Macuquinho-baiano, mas diferenciando por características físicas e pela ocorrência. Há dimorfismo sexual. Os machos são mais escuros que as fêmeas, possuem uma coloração de azul-escuro nas partes superiores do corpo estendendo-se da cabeça até o manto, atingindo as coberteiras secundárias das asas, sendo castanho do dorso até a cauda e suas coberteiras e rêmiges primárias. Da garganta até a barriga é esbranquiçado, tendo em comum com a fêmea o flanco barrado. No caso das fêmeas a coloração das partes inferiores são um pouco manchadas e não esbranquiçadas totalmente, tendo as partes superiores e coberteiras secundárias de cor cinzenta. Os jovens tem a plumagem incompleta, a ausência de cores de ambos os sexos em diferentes partes do corpo, como as asas e as partes superiores lembrando mais as fêmeas.

Habita florestas primárias e secundárias úmidas nos domínios da Mata Atlântica, como matas de araucária, matas ciliares e matas subtropicais. Vivem solitários ou aos pares em locais densos e sombrios da mata, protegendo-se nos emaranhados próximos do solo. Emite um som constante de cerca de 4 segundos com intervalos de aproximadamente 5 ou 6 segundos lembrando certos anfíbios. Está ameaçado pela perda de habitat.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Quinta, 17 Dezembro 2015 09:41

Asa-de-telha - Agelaioides badius

O Asa-de-telha (Agelaioides badius) é um Passeriformes da família Icteridae.

Denominação anterior - Molothrus badius.

Seu nome científico significa: do (grego) agelaius = pássaro preto; e -oidës = parecido com; e do (latim) badius = castanho, marrom. ⇒ (Ave) castanha parecida com um pássaro preto.

Características

Mede de 15 a 17 cm. Não possui dimorfismo sexual. Tem cor geral marrom escuro, sendo as asas e a cauda mais escuras e as orlas das penas coberteiras marron-avermelhado. Possui uma espécie de “mascara” negra ao redor dos olhos. Tarsos negros. Bico cônico.

Gregário, vive em grupos de até 20 aves. Adapta-se a locais semi-urbanizados, sendo comum ao redor das fazendas e nas praças de alguns povoados do interior.

Agradecimento ao amigo Adolf que me chamou para fazer o registro desta espécie em sua casa.

asa de telha2 

 clique

Quarta, 16 Dezembro 2015 17:04

Trinta-réis-miúdo - Sternula antillarum

O Trinta-réis-miúdo (Sternula antillarum) é uma ave Charadriiformes da família Sternidae.

Seu nome significa: de sternula = diminutivo de Sterna (Linaeus-1758); e de antillarum = referente ao arquipélago das Antilhas no Caribe. ⇒ Pequena Sterna das Antilhas.

Características

É uma pequena ave, de 22-24 cm de comprimento, com uma envergadura de 50 centímetros e pesando de 39-52 g. As partes superiores são bastante uniformes em cinza pálido, e as partes inferiores brancas. A cabeça é branca, com uma capa preta e linha através do olho até a base do bico, e uma testa pequena com mancha branca, no inverno, a testa branca é mais extensa. As pernas são amareladas. As asas são geralmente cinza pálido, mas com visíveis marcas pretas em suas coberteiras primárias.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Guaraqueçaba-PR.

Quinta, 26 Novembro 2015 14:06

Cartas da Mata Atlântica

O naturalista André August Remi de Meijer é uma daquelas pessoas que encarnam a pureza científica dos áureos tempos dos seus ancestrais que visitaram o Brasil em expedições científicas. Para aqueles que têm o grato prazer de conhecê-lo descobrem nele muitas qualidades que fazem jus ao cientista mais dedicado. Uma perspicácia e conhecimento tornam a conversa com esse profissional uma verdadeira aula de amor à natureza e tudo que a ela se relaciona. Defensor das causas ambientais, ele dedica sua vida ao conhecimento da flora, fauna e dos fungos da mata atlântica.

Leiam as cartas da mata atlântica que foram escritas pelo cientista. Certamente muitas delas tocarão fundo na alma do brasileiro, que faz tão pouco pela terra em que vive.

Entre no site do André...

Terça, 27 Outubro 2015 10:09

Redescoberta ave extinta

As espécies estão atualmente se extinguindo a uma taxa alarmante. Alguns cientistas têm alertado que estamos à beira da sexta extinção em massa na história do nosso planeta. Muitas vezes parece que a maioria das notícias sobre conservação divulgadas na mídia possuiu um caráter  repetitivo. Porém, boas notícias sempre são acatadas com alegria, como é o caso de uma espécie de ave foi flagrada em Myanmar que não havia sido avistada desde 1941, e foi dada como presumidamente extinta. A re-descoberta da espécie foi descrita na revista BirdingASIA. A Chrysomma altirostre, mais conhecido como babbler de Jerdon, costumava ser comum nos campos de Mianmar. Este habitat foi drasticamente transformado com a invasão humana pela construção de habitações e a implantação de áreas agrícolas, fazendo com que esta espécie desaparecesse das vistas por mais de meio século. 

 "A degradação destes vastas pradarias levou muitos estudiosos a considerar esta subespécie de Babbler de Jerdon, extinta. Colin Poole da Sociedade de Conservação Mundial em Singapura disse em um comunicado de imprensa. "Esta descoberta não só prova que a espécie ainda existe em Myanmar, mas que o habitat ainda pode ser encontrado também". Um trabalho futuro é necessário para identificar bolsões remanescentes de pastagem natural e desenvolver sistemas para que as comunidades locais possam se beneficiar com a conservação da espécie.

O pequeno pássaro marrom foi redescoberto maio 2014 quando um grupo de cientistas na região reconheceu sua vocalização. A equipe foi capaz de verificar a identidade do pássaro através de gravações da chamada, amostras de sangue e fotografias. As informações coletadas durante este tempo foi comparado com as populações existentes de outras espécies estreitamente relacionadas. Não se sabe se esta ave é, na verdade, uma subespécie, ou suas próprias espécies distintas. Testes futuros vão nortear a distinção final.

"Nossos registros sonoros indicam que pode haver pronunciadas diferenças bioacústica entre as subespécies de Myanmar e aqueles mais a oeste, e os dados genéticos podem assim confirmar a distinção da população em Myanmar", explicou o autor Frank Rheindt da Universidade Nacional de Singapura.

Os pesquisadores esperam resolver a verdadeira posição filogenética da ave e aumentar o conjunto de conhecimentos para todas as aves da região que estão enfrentando o declínio dos níveis de biodiversidade da avifauna devido à extensa destruição do habitat.

Fonte: IFL Science 

Chrysomma altirostre

crédito da foto: Robert Tizard / WCS


 Veja onde fica Myanmar

Myanmar

Domingo, 11 Outubro 2015 14:32

Big Day Brasil Primavera 2015

A equipe do Passarinhando participou no Big Day Brasil Primavera 2015, nossa lista foi gerada no quintal de casa (Parque Náutico do Iguaçu), foram 8 horas de observação com um intervalo para almoço. 102 espécies.

http://ebird.org/ebird/view/checklist?subID=S25373922

eBird Brasil

brasil 270x155Com o lançamento do eBird Brasil – o portal regional do eBird para birders de todo o Brasil. O site é administrado por uma equipe de colaboradores que inclui a SAVE Brasil, o Observatório de Aves do Instituto Butantan e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Desde o Global Big Day  que aconteceu no último outono, o eBirding decolou no Brasil como nunca havia acontecido antes. Birders brasileiros estavam tão engajados nos totais do Global Big Day e na competição pelo maior número de espécies avistadas no dia 9 de maio, que um eBirder brasileiro declarou: “Isso é como assistir a um jogo da Copa do Mundo”.

O Big Day Brasil Primavera aconteceu no dia 10 de outubro. Esse evento irá engajou birders através da vasta extensão do Brasil em uma competição cooperativa de um único dia – quantas espécies o Brasil inteiro consegue observar em um único dia? Eles conseguem atingir 1.700? Descubra muito em breve! Esse acontece na primavera brasileira, então as aves estarão no pico de sua atividade e canto – o ideal para encontrar a maior quantidade possível de espécies. Fique atualizado através das notícias no eBird Brasil ou no evento do Facebook.

Roberto Cirino e Luciano Campestrini

Quinta, 01 Outubro 2015 21:10

Maria-da-restinga - Restinga Tyrannulet

Maria-da-restinga - Restinga TyrannuletA Maria-da-restinga (Restinga Tyrannulet) é uma ave Passeriformes da família Rhynchocyclidae. Espécie endêmica do Brasil.

**Espécie ameaçada de extinção**

Seu nome significa: do (grego) phullon = folha; e de skairö = pular, dançar; e de kronei= homenagem ao zoólogo e coletor de espécimes brasileiro, Ricardo Krone (fl. 1903). ⇒Dançarino de Krone.

Características

Esta ave mede em torno de 12 centímetros. Apresenta nas costas a cor verde-olivácea. A barriga é mais clara e a garganta, esbranquiçada. O peito é acinzentado e o abdômen apresenta um tom amarelado. Nas asas, destacam-se manchas arredondadas, enquanto na cabeça há um traço amarelo que parte do bico e se prolonga, formando uma longa linha acima dos olhos. A face é amarelada, marcada por pintas marrom-enegrecidas que lhe conferem uma aparência de “cara suja”. Semelhante a Borboletinha-do-mato (Phylloscartes ventralis) na coloração da plumagem.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Maria-da-restinga - Restinga Tyrannulet 

 clique

Quinta, 01 Outubro 2015 19:40

Macuru - Nonnula rubecula

Macuru -Nonnula rubeculaO Macuru (Nonnula rubecula) é uma ave Galbuliformes da família Bucconidae. também chamada de freirinha-parda.

Seu nome científico significa: do (latim) nonnula = diminutivo de nonna = freira, pequena freira, freirinha; e de rubeus = espinheiro, espinho; e -cola = morador, habitante. ⇒ Freirinha habitante do espinheiro.

Características

Mede 14 cm. Partes superiores marrom-acinzentadas; faixa supra-ocular brancacenta; peito pardo-acinzentado; abdome cinzento; bico relativamente fino e curto.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Macuru -Nonnula rubecula 

 clique

Quinta, 01 Outubro 2015 19:28

Barbudo-rajado - Malacoptila striata

Barbudo-rajado - Malacoptila striataO Barbudo-rajado (Malacoptila striata) é uma ave Galbuliformes da família Bucconidae. Também é conhecida pelos nomes de joão-barbudo, barbado, jururu, bole-bole e joão-doido. É endêmica do Brasil.

Seu nome científico significa: do (grego) malakos = macio; e ptilon = plumagem, pena; e do (latim) striatus, striare = estriado, com estrias, estria, sulco. ⇒ (Ave com) plumagem macia e estriada.

Características

Mede cerca de 20 cm de comprimento, com as partes superiores, cabeça e manto marrom-escuro estriado de ocre; garganta branca, com uma faixa negra logo abaixo; partes inferiores marrom-cinzentas, com peito superior tingido de ocre; “vírgula” branca na base do bico..

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Barbudo-rajado - Malacoptila striata 

 clique

Segunda, 28 Setembro 2015 17:31

Assanhadinho - Myiobius barbatus

Assanhadinho - Myiobius barbatusO assanhadinho (Myiobius barbatus) é uma ave Passeriformes da família Onychorhynchidae. Conhecido também como assanhadinho-de-peito-dourado.

Seu nome científico significa: do (grego) muia = voar; e bios = vida; e do (latim)barbatus = barbudo. ⇒ Pequeno barbudo que vive voando.

Características

Mede cerca de 12,5 cm de comprimento. Varia de incomum a comum no sub-bosque de florestas úmidas de terra firme, florestas de galeria e capoeiras maduras. Vive em pequenos bandos e movimenta-se de forma bastante inquieta, provavelmente para encontrar os pequenos insetos dos quais se alimenta. Acompanha bandos mistos com regularidade.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Assanhadinho - Myiobius barbatus 

 clique

Página 8 de 16

Temos 59 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.