|BUSCA NOMES COMUNS|abcdefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish
Passarinhando

Passarinhando

soficurAconteceu no dia 11 de outubro, na Agência Filatélica dos Correios, o lançamento dos selos comemorativos e do carimbo referente aos 70 anos de fundação da Sociedade Filatélica de Curitiba - SOFICUR. Dentre os selos que foram apresentados, um deles, de autoria do filatelista Otto Schneck foi um destaque. Trata-se de uma obra que retrata uma coruja, com requintes de arte e bom gosto.

Foi em 11 de outubro de 1943 que um grupo de filatelistas paranaenses decidiu fundar uma Sociedade Filatélica que, através de reuniões e eventos não só possibilitasse a troca de informações e material entre eles, o que resultaria em um aprimoramento de suas coleções individuais mas também, acima de tudo, em uma divulgação junto á sociedade curitibana e, porque não, brasileira, de todos os benefícios que a prática da arte da filatelia trás a todos que a praticam.

Soficur3
Soficur4
Soficur1
Soficur2

culturaAtravés da Prefeitura e Diretoria Municipal de Cultura do município de Castro-PR, a Casa da Cultura Emília Erichsen recebe nesta sexta-feira dia 10 de Outubro de 2014, a exposição Cultural “Blue Jay Parade”, que segue em novos vôos pelos campos gerais do Estado do Paraná.

A exposição que foi comemorativa aos 321 anos da Capital Paranaense, já esteve em exposição no Espaço Cultural do Shopping Jardim das Américas em Curitiba-PR, na Câmara Municipal de Ponta Grossa-PR e agora na cidade Castro-PR.

O tema principal é a ave símbolo do Paraná que é protegida pela Lei Estadual n. 7957 de 1984. 

A exposição tem a assinatura curatorial de Eloir Jr. e Kézia Talisin, com orientação de Carla Schwab.

A mostra reúne 18 artistas que confeccionaram as obras especialmente para a exposição. São eles: Ana Lectícia Mansur, Ana Müller, Aninha Sacchelli, Carla Schwab, Cecifrance Aquino, Eloir Jr., João Câncio Neto, Kézia Talisin, Luiz Felix, Márcio Prodócimo, Michelle Mosele, Mônica Pailo, Noeli Tarachuka, Raquel Frota e Ruth Mara. 
Há também a participação de artistas convidados: Celso Parubocz, Katia Velo e Oswaldo Fontoura Dias.

SERVIÇO:
Exposição Cultural: “BLUE JAY PARADE”
Local: Casa da Cultura Emília Erichsen
Visitação: 10 a 30/10/2014
Segunda a sexta-feira das 8h as 11h30 / 13h as 17h30.
End.: Rua Dr. Jorge Xavier da Silva, 454
Centro – Castro –PR.
Agendamento para visitação:
(042) – 3906-2127
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
http://www.castro.pr.gov.br


Clique aqui e veja mais informações sobre a GRALHA AZUL.


macuquinho-preto-baianoCientistas reconheceram oficialmente no último mês uma nova espécie de ave descoberta na faixa da Mata Atlântica no litoral da Bahia. O macuquinho-preto-baiano (Scytalopus gonzagai), mede 12 centímetros e pesa cerca de 15 gramas. Mal foi descoberto, porém, os pesquisadores anunciaram que ele já está ameaçado de extinção.

Segundo pesquisadores, a estimativa é de que haja menos de 3.000 espécimes nessa porção da Mata Atlântica -- número considerado baixo para aves --, por isso o macuquinho-preto-baiano já entrou na lista de animais em risco de extinção.

A descoberta foi reconhecida em agosto, sendo publicada na revista The Auk, periódico científico da American Ornithologists' Union (União dos Ornitólogos Americanos), voltado para estudos e pesquisas de aves.

O passarinho passou muito tempo despercebido pelos ornitólogos que estudam a Mata Atlântica. Foi visto pela primeira vez em 1993, quando uma expedição com pesquisadores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) realizou a primeira coleta de exemplares e gravações do canto da espécie. Na época, os cientistas acreditavam se tratar de um macuquinho-preto comum (espécie do sul e sudeste do Brasil), por ter características semelhantes.

Apenas em 2004 foram iniciados os estudos direcionados a descobrir se seria uma nova espécie. O passarinho se difere do macuquinho-preto comum, entre outras características, pelo ritmo de canto mais forte e com diferentes vocalizações.

Foto: Ciro Albano

Fonte: UOL

Sábado, 20 Setembro 2014 18:14

João-pobre - Serpophaga nigricans

joao-pobreO João-pobre (Serpophaga nigricans) é uma ave Passeriformes da família Tyrannidae. Conhecido também como Bentereré e Bentererê e João-tiriri.

Seu nome significa: Serpophaga - do (grego) serphos = mosquito; e phagos = comedor; e do (latim) nigricans = enegrecido, escuro, moreno. ⇒ Comedor de mosquitos escuro.

Características

Mede até 12 cm de comprimento, com plumagem cinza-escura com a garganta mais clara, asas e cauda negras. Vive em beira de lagoas, rios e açudes. Alimenta-se de insetos capturados em voo a partir de árvores ou pedras nas margens de rios..

Registro feito no Parque Iguaçu.

joao-pobre

clique

 joao-pobre2

 

Terça, 19 Agosto 2014 18:09

Urubu-rei - Sarcoramphus papa

urubu-reiO Urubu-rei (Sarcoramphus papa) é uma ave Cathartiformes da família Cathartidae.

Seu nome significa: do (grego) sarx = carne; e rhamphos = bico; e do (latim) papa = Papa, maior, maioral. = Papa dos Abutres com carúncula no bico.

Habitante de zonas tropicais a semi-tropicais,desde o México à República da Argentina, e em todo o Brasil, onde, pela sua característica saprófaga, sua caça é proibida, pois é considerada uma ave importante na limpeza do meio ambiente, quando muitos animais são exterminados por doença, o urubu ajuda a controlar a epidemia comendo os animais mortos e agonizantes. Também é conhecido como corvo-branco, urubu-real, urubu-branco, urubutinga, urubu-rubixá, urubu-preto-e-branco e iriburubixá.

O nome genérico “Sarcoramphus” significa “bico com carne”, devido à presença de apêndices ou crestas carnosas no mesmo; e o específico “papa”, cujo significado latino original é “bispo”, é uma referência ao papel hieráquico que o povo lhe atribui, de ser o primeiro a abordar uma carcaça, o que parece se dever ao poder de seu bico, capaz de romper couros mais resistentes, abrindo caminho para as outras espécies se servirem depois.

Na natureza tem poucos predadores naturais, mas, devido à baixa reprodutividade da espécie e à degradação do seu habitat, é uma espécie cada vez mais rara de se observar. 

Características

Possui uma envergadura que varia de 170 a 198 cm e peso que oscila de 3 a 5 kg, medindo cerca de 85 cm de comprimento. Tem cabeça e pescoço nus, pintados de vermelho, amarelo e alaranjado, a parte superior do corpo amarelo-clara, esbranquiçada, asas e cauda pretas, o lado inferior branco, com plumagem branca e negra. Sua dieta é estritamente carnívora, mas nunca se alimenta de animais vivos, salvo se estiver faminto e a presa estiver agonizando. Como consumidores de carne em putrefação desempenham importante papel saneador, eliminando matérias orgânicas em decomposição.

Registro feito em Tibagi-PR

urubu-reiclique
urubu-rei-g
Terça, 19 Agosto 2014 16:33

Patativa-tropeira - Sporophila beltoni

papativaA Patativa-tropeira (Sporophila beltoni) é um Passeriformes da família Thraupidae descrito para a ciência no final de 2013, cujo nome científico Sporophila beltoni é uma homenagem ao ornitólogo William Belton. Antes de ser descrita, por apresentar o bico amarelo era considerada uma variedade da patativa Sporophila plumbea, que possui bico preto. No sul já era conhecida popularmente como patativa-de-bico-amarelo.. 

Características

Mede cerca de 10,5cm de comprimento. Vive em pequenos grupos, às vezes associados com outros pássaros que se alimentam de sementes..

Registro feito em Tibagi-PR

papativa

clique

bico-de-veludoO Bico-de-veludo (Schistochlamys ruficapillus), é uma ave Passeriformes da família Thraupidae. É conhecido também como bicudo-do-tabuleiro, sanhaçu-tabuleiro (Natal/RN), figueira, figueira-bico-de-veludo, sanhaço-do-campo, sanhaço-pardo, sanhaçu-caboclo (Minas Gerais), saí-veludo, zorro, tiê-veludo e papa-laranja (Minas Gerais).

Etimologia: Seu nome significa:: Schistochlamys - do (latim) schistus = cor de ardósia, acinzentado; e do (grego) khlamus = capa, manto, capote; ruficapillus - do (latim) rufus = vermelho; e capillus = referente à cabeça. ⇒ (Ave) com manto acinzentado e cabeça vermelha. 

Características

A plumagem do dorso é azul-acinzentada, tem uma máscara negra na face. Na parte inferior, garganta, peito e barriga são acanelados. O baixo-ventre é branco-acinzentado. Espécie sem dimorfismo sexual.

Possui um canto melodioso, repetido incessantemente que pode variar de região para região, sendo ora mais “limpo” ora mais “embolado”. Comprimento: 18 centímetros; peso: 38 gramas.

Registro feito em Tibagi-PR

bico-veludo

clique

Sábado, 02 Agosto 2014 13:50

Viagem à Irati-PR

irati-julhoNo final de semana de 25 de julho, combinamos uma viagem a Irati. Em contatos feitos com novos amigos de passarinhada, planejamos conhecer lugares diferentes para encontrar espécies que não ocorrem em nossa região. Em pesquisas feitas, relacionamos algumas espécies que intencionávamos encontrar na cidade. Prioritariamente queríamos ver de perto uma Coruja-da-igreja, que há muito tempo sonhávamos registrar. Nosso amigo Elizeu Czekaski informou que teria disponibilidade de ser nosso anfitrião nessa saída e nos apresentar alguns locais bastante interessantes. Acordamos sair no sábado e no domingo pela manhã, sendo que no sábado, destinamos à saída para explorar a Floresta Nacional de Irati (FLONA); uma unidade de conservação e pesquisa pertencente ao Ministério do Meio Ambiente. Fazia um frio de rachar, e às 7h30 min partimos para a FLONA. As distâncias são pequenas e antes das 8 horas passamos pela portaria. No local, funcionava uma antiga serraria e ainda é possível observar as construções antigas, onde residiam os funcionários da empresa, a escola e a igreja da localidade. Como o clima não favoreceu muito à entrada na mata pelas trilhas, optamos permanecer ao longo da estrada que corta o parque. Nessa incursão, encontramos algumas espécies. Ficamos na FLONA até perto das 11 horas e depois o amigo Eliseu nos levou à conhecer as instalações do IAPAR em Fernandes Pinheiro. Qual foi nossa surpresa ao encontrar uma mansão abandonada, construída por um rico proprietário da madeireira a família Xavier de Miranda, conhecida como Palácio de Pinho, construída em 1912 e tombada como patrimônio histórico na década de 1990. Hoje ela está entregue literalmente às abelhas que ai fizeram dezenas de colmeias. Além disso, sua aparência remete àqueles filmes de terror americanos com as casas mal-assombradas. Brincadeiras à parte, a construção é imponente e certamente, no passado deve ter sido uma das residências mais lindas da região.

No domingo cedo, a programação foi a ida ao Cerro do Leão, entre os municípios de Irati e Inácio Martins, considerado o local de maior altitude do Paraná. Junto conosco foi o Michel Kengerski. Ao chegarmos ao local, encontramos também o Elinton Sloma e o Osmar Slompo que madrugaram para registrar os espécimes antes do raiar do dia. O frio da altitude aliada à neblina que não deu trégua fez com que a luz não ficasse perfeita para que pudéssemos avistar a paisagem ao longe, o que dizem ser magnífica. Como o objetivo era encontrar duas espécies específicas que ocorrem na localidade, a paisagem ficará para uma próxima vez. As espécies, bem dessas, uma delas foi encontrada, o que já valeu muito a pena.

Agradecemos muito a paciência do amigo Elizeu por ser um guia tão agradável em nossa estada na cidade.

suidara pato-corredor
grimpeirinho cabecinha-castanha
guaracava-cinzenta saira-viuva
saira-preciosa pintassilgo
joao-bobo arapacu-verde
irati1 irati5
irati4 irati2
irati3 eu-luciano
Sexta, 01 Agosto 2014 17:41

Coruja-da-igreja - Tyto furcata

suidaraA Coruja-da-igreja (Tyto furcata) é uma Strigiformes da Família Tytonidae. Conhecida também como coruja-das-torres, coruja-da-igreja, rasga-mortalha (Maranhão, Pernambuco) ou suindara, é uma espécie de coruja muito comum no Brasil, bastante conhecida por nidificar em torre de igrejas e locais habitados (razão de um de seus nomes comuns). 

Está entre as aves mais “úteis” do mundo, no que se refere à economia do homem, pois consomem muitos roedores, principalmente nas proximidades de habitações humanas. O nome suindara vem do tupi e significa “o que não come”.

Seu nome significa:Tyto Furcata⇒ Coruja branca [com rabo de] pontiagudo. 

Obs: Modificado recentemente (2014). Antiga Tyto alba ⇒ Coruja branca.

Características

Possui em média 36 cm de comprimento e envergadura de 75 a 110 cm , as fêmeas pesam em média 570 g e os machos 470g. É uma espécie muito especializada, caça suas presas localizando-as principalmente pela audição. Possui dois discos faciais bem destacados, em forma semelhante a um coração, que ajuda a levar o som até a entrada dos ouvidos externos. Essa é uma estruturação única, separando-a das demais corujas em uma família especial, a Tytonidae.

Registro feito em Fernandes Piheiro-PR na Floresta Nacional de Irati.

suidara 

clique

suidara3

Sexta, 01 Agosto 2014 17:25

Pato-corredor - Neochen jubata

pato-corredorO Pato-corredor (Neochen jubata) é uma ave Anseriformes da família Anatidae. Também é chamado de ganso-do-orinoco.

Seu nome significa: do (grego) neos = novo; e khën = ganso; e do (latim) iuba, iubatus = crista, com crista. ⇒ Novo ganso com crista.

Características

Mede entre 61 a 76 centímetros. Tem flancos de cor castanha, cabeça e peito cinza-amarelados, manto e asas escuras com um espéculo branco. As pernas são vermelhas e o bico é preto e rosa. Tanto o macho quanto a fêmea apresentam as mesmas cores de plumagem. O macho é maior do que a fêmea.

Os indivíduos jovens possuem a plumagem muito similar a dos adultos, sendo difícil a identificação dos jovens pela sua plumagem (Hidalgo 2010). Esta é uma espécie em grande parte terrestre, mas se empoleira facilmente em árvores. Raramente voa, preferindo movimentar-se no solo. Ao contrário dos demais anatídeos (patos, gansos e cisnes), o pato-corredor também é raramente visto nadando. Prefere ficar nas margens, onde se desloca com agilidade e velocidade impressionantes para um pato. Seu voo parece com o voo de um ganso.

Registro feito em Fernandes Piheiro-PR.

pato-corredor 

clique

Página 7 de 45

Temos 141 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.