|BUSCA NOMES COMUNS|abcefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish
flamingo

flamingo

Sábado, 24 Dezembro 2011 11:27

Saíra-de-chapéu-preto - Nemosia pileata

saira-de-chapeu-preto

A Saíra-de-chapéu-preto (Nemosia pileata) é uma ave Passeriformes da família Thraupidae. Em muitos lugares do Nordeste é conhecida como azedinho.

Características

O macho é mais colorido do que a fêmea, com o amarelo vivo do olho das aves adultas destacando-se contra o negro dominante na cabeça e lados do pescoço. Entre o olho e o bico, uma listra branca, mesma cor das partes inferiores. O dorso é cinza levemente azulado, assim como a cauda. As penas longas das asas são cinza escuro, ocasionalmente observadas na ave pousada. Já a fêmea possui a mesma distribuição geral de cores, exceto o negro da cabeça. A íris é amarelo mais apagado, assim como o cinza das costas. Partes inferiores com tom levemente amarronzado. O bico é amarelado, enquanto no macho é cinza na base com a ponta escura.

Tem cerca de 13 centímetros e pesa aproximadamente 14 gramas. Chama a atenção pelo branco puro do loro e do lado inferior que contrasta com o negro do píleo. Tem manto cinzento, íris e pernas amarelas. A fêmea não tem o desenho negro tendo o seu lado inferior amarelo e mandíbula branca.
 
Sempre muito ativos durante as caçadas, ocasionalmente emitem um chamado curto e assobiado
O macho é mais colorido do que a fêmea, com o amarelo vivo do olho das aves adultas destacando-se contra o negro dominante na cabeça e lados do pescoço. Entre o olho e o bico, uma listra branca, mesma cor das partes inferiores. O dorso é cinza levemente azulado, assim como a cauda. As penas longas das asas são cinza escuro, ocasionalmente observadas na ave pousada. Já a fêmea possui a mesma distribuição geral de cores, exceto o negro da cabeça. A íris é amarelo mais apagado, assim como o cinza das costas. Partes inferiores com tom levemente amarronzado. O bico é amarelado, enquanto no macho é cinza na base com a ponta escura.Tem cerca de 13 centímetros e pesa aproximadamente 14 gramas. Chama a atenção pelo branco puro do loro e do lado inferior que contrasta com o negro do píleo. Tem manto cinzento, íris e pernas amarelas. A fêmea não tem o desenho negro tendo o seu lado inferior amarelo e mandíbula branca.
Sempre muito ativos durante as caçadas, ocasionalmente emitem um chamado curto e assobiado.

Registro feito em Londrina-PR

saira-do-chapeu-preto

 clique

O Beija-flor-de-garganta-verde (Amazilia fimbriata) pertence à Ordem Apodiformes e à Família Trochilidae. A espécie de beija-flor médio mais encontrada nos ambientes abertos e bordas de matas. Visita as flores de arbustos, trepadeiras e árvores isoladas ou na borda da mata. É afastado pelos beija-flores maiores, mas é agressivo com outros da mesma espécie ou menores.

Características

A cor dominante é um verde claro, com tons brilhantes sob luz adequada. Atrás do olho destaca-se um ponto branco, mesmo tom da barriga e do desenho afunilado terminando na garganta de aspecto escamado, delimitado pelo verde dominante do pescoço e peito. Asas escuras e cauda arredondada, cinza escura. Bico longo e reto, de tom avermelhado pouco notável e ponta escura. Macho e fêmea são idênticos. Possui um canto matinal, chilreado e repetitivo, emitido de poleiros tradicionais desde a madrugada. Para identificá-lo corretamente é necessário notar o tom verde fosco da garganta e a linha branca do peito, expandindo-se na barriga.

Registro feito em Morretes na sede da Ornithos e também em Neves Paulista-SP .

beija-flor-de-garganta-verde

clique

Sábado, 29 Outubro 2011 13:01

Topetinho-verde - Lophornis chalybeus

O Topetinho-verde (Lophornis chalybeus) pertence à Ordem Apodiformes e à Família Trochilidae

Seu nome científico significa: do (grego) lophos = crista, topete; e ornis = pássaro; e do (latim) chalybeius = de aço. ⇒ Pássaro com topete de aço.

Características

Pequeno beija-flor, mede entre 7,5 a 8,5 cm e pesa apenas 3 gramas!

Os machos desta espécie são elegantes e apresentam longos tufos de penas verdes com as pontas brancas na garganta. Quando eriçados, mostram bela mancha verde iridescente atrás dos olhos. Dorso superior verde e uropígio bronze, garganta verde, peito com manchas brancas, abdome cinzento e infracaudais branca. Pálpebras azuis, bico negro. Os machos não apresentam topete na cor vermelha na cabeça. A fêmea não tem os espetaculares tufos de longas penas na bochecha e em vez disso tem uma garganta marrom, peito com manchas brancas e uma faixa facial abaixo do olhos esbranquiçada. Ambos os sexos exibem uma banda branca no uropígio como fazem muitos outros do gênero, que para o macho é branca e para a fêmea é amarronzada.

Registro feito em Morretes na sede da Ornithos.

topete2

clique

Domingo, 27 Fevereiro 2011 16:58

Falconiformes

Falconiformes é uma ordem que inclui as famílias de aves de rapina diurnas. Sua classificação é ainda controversa. Os Falconiformes foram reclassificados em 2011 pelo CBRO.

As famílias caracterizam-se pelas suas adaptações à predação, como um bico curvo e aguçado e garras afiadas. Enquanto animais diurnos, estas aves têm normalmente um sentido da visão bastante apurado. Em muitos vertebrados, os músculos que agem sobre o cristalino dos olhos são lisos, porém as aves de rapina possuem essa musculatura estriada, e essa característica pode ser considerada uma importante adaptação. Os “falconiformes” têm uma esperança de vida média muito alta para as aves e levam muito tempo a atingir a maturidade sexual. Em geral a fêmea é maior do que o macho e fica no ninho para proteger os filhotes. Muitas espécies estabelecem relações monogâmicas.

Família Falconidae Leach, 1820 - Falcões e caracarás


Os falconídeos (do latim científico Falconidae) constituem uma família de aves pertencentes à ordem dos Falconiformes e inclui cerca de 60 espécies de aves de rapina, das quais 21 ocorrem no Brasil, distribuídas em 10 gêneros. Os falconídeos distinguem-se dos outros falconiformes por matarem a presa com o bico e não com as garras. Para isso, possuem a ponta da parte superior do bico curvada. Os falcões do gênero Falco são aves de rapina cosmopolitas, enquanto os demais gêneros são exclusivamente neotropicais.


07 espécies

Domingo, 27 Fevereiro 2011 16:52

Accipitriformes

Ordem Accipitriformes 
Ordem da Águia-pescadora, das águias e gaviões.

Os Accipitriformes foram classificados em 2011 pelo CBRO

Família Pandionidae Bonaparte, 1854 - Águia-pescadora
Família Accipitridae Vigors, 1824 - Águias e gaviões

Sábado, 26 Fevereiro 2011 08:38

Pelecaniformes

Ordem dos pelicanos, das garças, curicaca, guará e afins. Aves de médio a grande porte que vivem em regiões com abundancia de água. Uma característica importante são as patas totiplamadas, cujos dedos são unidos por uma membrana, especializadas para o meio aquático do qual as aves dessa ordem retiram o seu alimento. Têm ampla distribuição geográfica, reproduzindo-se em colônias de diversos indivíduos, mostrando assim uma outra característica comum da ordem, o gregarismo. Destacam-se também os bicos protuberantes e que em muitas espécies terminam em um gancho. São verossímeis pescadores e na base de sua dieta constam peixes, crustáceos e invertebrados aquáticos.

Os Pelecaniformes foram reclassificados em 2011 pelo CBRO.

Família Pelecanidae Rafinesque, 1815 - Pelicanos 
Família Ardeidae Leach, 1820 - Garças, socós e afins 
Família Threskiornithidae Poche, 1904 - Guará, Curicaca, Colhereiros e afins

Sábado, 26 Fevereiro 2011 08:19

Suliformes

Ordem dos tesourões, atobás, biguá e biguatinga. Os Suliformes foram classificados em 2011 pelo CBRO.

Família Fregatidae Degland & Gerbe, 1867 - Tesourões 
Família Sulidae Reichenbach, 1849 - Atobás 
Família Phalacrocoracidae Reichenbach, 1849 - Biguá 
Família Anhingidae Reichenbach, 1849 - Biguatinga

Sábado, 04 Setembro 2010 19:32

Anseriformes

Ordem Anseriformes Linnaeus, 1758 
Marrecos, patos, tachãs e afins

Os Anseriformes são uma ordem numerosa, maioritariamente aquática, incluindo duas famílias e muitas espécies distribuídas por todo o mundo. Entre as características comuns, contam-se as grandes membranas interdigitais que ligam os três dedos dianteiros, as pernas curtas e um bico forte coberto de pele fina, cuja ponta achatada apresenta uma parte mais dura em forma de garra. O bico apresenta ainda janelas laterais que servem de filtro e se encaixam quando o bico fecha. A plumagem espessa é extremamente impermeável, protegendo a ave do frio e da água.

Família Anatidae - Leach, 1820 - Marrecos, patos e cisnes 
Família Anhimidae - Stejneger, 1885 - Anhumas e tachãs

Segunda, 21 Fevereiro 2011 10:24

Águia-chilena - Buteo melanoleucus

A Águia-chilena (Buteo melanoleucus) é uma ave Accipitriformes da família Accipitridae. Também conhecida como gavião-da-serra (Nordeste), Águia-moura.

Características

Atinge aproximadamente 68cm de comprimento, possui quase dois metros de envergadura, dotada de asas compridas e largas e cauda curta.
A águia chilena é identificada no vôo por sua cauda em forma de cunha curta que projeta-se mal em suas asas longas e largas. Plana muito proximo a areas montanhosas onde fica por muito tempo planando a procura de comida, conhecida também como gavião-pé-de-serra.

Registro feito em São Luiz do Purunã na cidade de Balsa Nova - PR.

Segunda, 09 Maio 2011 00:00

Beija-flor-rubi - Clytolaema rubricauda

O Beija-flor-rubi (Clytolaema rubricauda) pertence à Ordem Apodiformes e à Família Trochilidae. Também conhecido como papo-de-fogo.

Características

Mede 12 cm de comprimento. Possui dimorfismo sexual.

O macho é predominantemente verde, com a cauda avermelhada que lhe dá o epíteto específico de rubricauda, se destaca pela coloração rubi do papo e o verde cintilante da fronte e peito. No sombreado da mata, quando em repouso, aparenta uma coloração negra destacando as manchas brancas pós-oculares. A fêmea tem coloração canela na parte de baixo do corpo, cabeça e dorso verdes, também apresenta as manchas brancas por tráz dos olhos..

Registro feito em Quatro Barras na estrada do Corvo.

rubi-femea

beija-flor-rubi_20110121_2061080065

clique

rubi-macho

rubi-detalhe

Página 13 de 16

Temos 43 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.