|BUSCA NOMES COMUNS|abcefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish
Quinta, 17 Dezembro 2015 09:44

Macuquinho - Eleoscytalopus indigoticus

O Macuquinho (Eleoscytalopus indigoticus) é uma ave Passeriformes da família Rhinocryptidae.

Conhecido também por macuquinho-perereca, já que sua vocalização faz lembrar um som emitido por diversos anfíbios. É também uma espécie de tapaculo relativamente difícil de se observar, pois vive em ambientes escuros e densos no sub-bosque, raramente se expondo e dessa forma protegendo-se de predadores.

Seu nome científico significa: do (grego) heleos = pântano; e Scytalopus = referente ao gênero Scytalopus (Gould, 1837), pé de vara; e do (latim) indigotica, indigoticus, indicum= da cor do índigo, azul índigo, azul. ⇒ Tapaculo do pântano azul índigo ou (ave do) pântano azul índigo com pé de vara. A palavra indigoticus tem origem no idioma (grego)indikon que significa índigo.

Características

Mede aproximadamente 11 cm de comprimento, semelhante ao Macuquinho-baiano, mas diferenciando por características físicas e pela ocorrência. Há dimorfismo sexual. Os machos são mais escuros que as fêmeas, possuem uma coloração de azul-escuro nas partes superiores do corpo estendendo-se da cabeça até o manto, atingindo as coberteiras secundárias das asas, sendo castanho do dorso até a cauda e suas coberteiras e rêmiges primárias. Da garganta até a barriga é esbranquiçado, tendo em comum com a fêmea o flanco barrado. No caso das fêmeas a coloração das partes inferiores são um pouco manchadas e não esbranquiçadas totalmente, tendo as partes superiores e coberteiras secundárias de cor cinzenta. Os jovens tem a plumagem incompleta, a ausência de cores de ambos os sexos em diferentes partes do corpo, como as asas e as partes superiores lembrando mais as fêmeas.

Habita florestas primárias e secundárias úmidas nos domínios da Mata Atlântica, como matas de araucária, matas ciliares e matas subtropicais. Vivem solitários ou aos pares em locais densos e sombrios da mata, protegendo-se nos emaranhados próximos do solo. Emite um som constante de cerca de 4 segundos com intervalos de aproximadamente 5 ou 6 segundos lembrando certos anfíbios. Está ameaçado pela perda de habitat.

Tão importante quanto o registro é a companhia dos amigos! No projeto Cidadão Cintista - Reserva Salto Morato - Guaraqueçaba-PR.

Publicado em Espécies
Sexta, 16 Agosto 2013 13:42

Ema - Rhea americana

A Ema (Ema - Rhea americana) é uma ave Rheiformes da família Rheidae. Comum, de forma localizada, em campos naturais, cerrados e áreas agropecuárias. Existe três subespécie: Rhea americana araneipes, com o alto da cabeça preto. Sul do centro-oeste em MS. Rhea americana americana, com o alto da cabeça marrom escuro. Nordeste até sudeste e centro do Brasil no MA, TO, GO até MT, SP e PR. Rhea americana intermedia, com o alto da cabeça avermelhado. Sul do Brasil no RS.

Seu nome científico significa: do (grego) rhea = da mitologia grega, significa a grande mãe; e de americana, americanus = referente ao continente da América do Sul; “Habitat in America Australis” (Linnaeus 1758). ⇒ Grande pássaro da América do Sul.

Nome em Inglês - Greater Rhea.

Características

É a maior espécie de ave existente no Brasil. Os adultos medem entre 1,27 e 1,40 metro. Tem o pescoço e as canelas compridos, não tem cauda e sua plumagem é pardo-acinzentada. Os machos se diferenciam das fêmeas por possuírem a região anterior do peito e o pescoço negros. Esta espécie é onívora, ou seja, come de tudo: sementes, folhas, frutos, insetos, roedores, moluscos terrestres e outros pequenos animais. Além disso, a Ema come muitas pedrinhas, que servem para facilitar a trituração dos alimentos. A ema é uma ave corredora que vive nas planícies da América do Sul, do Brasil até o sul da Argentina, vive nas regiões campestres, cerrados e áreas de uso agropecuário (em especial pastos e plantios extensos de soja sp.), mas apenas naquelas onde não é alvo de perseguição. Desaparece em locais em que a população humana é mais densa. Embora possua grandes asas, ela não voa. Usa as asas para equilibrar-se e mudar de direção na corrida. Se faz muito calor, a ema dorme durante o dia e sai à noite para alimentar-se. Bebe pouca água. Quando algo muito próximo a assusta, abaixa o pescoço e afasta-se de repente num zigue-zague ligeiro, erguendo as asas e inflando a plumagem.

Registro feito em Aparecida do Taboado-MS e também na Lagoa do Peixe em Tavares-RS

Ema - Rhea americanaclique

Publicado em Espécies
Terça, 30 Julho 2013 09:36

Encontro - Icterus pyrrhopterus

O Encontro (Icterus pyrrhopterus) é uma ave Passeriformes da família Icteridae. Conhecido também como primavera, inhapim (Pantanal), encontro (Rio Grande do Sul), melro, merro e soldadinho (Paraná e São Paulo), pega, soldado, maria-pretinha, gorricho, guacho (algumas localidades de Goiás), rouxinol-da-amazônia e xexéu-de-banana e alguns o chamam também de xexéu-soldado.

Características

O corpo longilíneo, terminado por uma longa cauda, produz uma silhueta característica, ainda mais sublinhada pelo bico fino. Sobre as asas, no encontro (razão de um dos nomes comuns) apresenta uma área de penas diferenciadas: castanhas para subespécie valenciobuenoi(Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina) ou amarelas para a subespécietibialis (no Nordeste, do Maranhão até a Bahia, e Espírito Santo e Rio de Janeiro). Comum nos ambientes florestados, também utiliza-se de capões de cerradão e árvores ou arbustos isolados próximos à mata. Vive solitário, aos pares e, eventualmente, em bandos, às vezes junto a bandos mistos. Nas manhãs frias, gosta de pousar em galhos expostos para tomar sol nas primeiras horas do dia.

Informações de Fernando Straube esta espécie pode ser classificada de acordo com a coloração:

"de acordo com a literatura, temos um problema justamente nessas áreas do sudeste-sul e que teria como características diagnósticas na cor do encontro: "valenciobuenoi"(amarelo), "pyrrhopterus" (castanho) e periporphyrus (marrom-amarelado)."

Registro feito em Onda Verde-SP

Encontro - Icterus pyrrhopterus

clique

Publicado em Espécies
Sexta, 19 Novembro 2010 14:00

Elaenia Sp.

eleaniaElaenia Sp. É um gênero da subfamília Elaeniinae da família Tyrannidae da ordem Passeriformes.

Características

Esse é um dos gêneros de maior dificuldade para identificação, mesmo para pessoas experientes. São aves pouco coloridas, onde domina o tom pardo oliváceo nas costas e áreas cinza claro ou amareladas na parte ventral. Asas com faixas claras ou amareladas. Na cabeça, um topete com tamanhos e posições diferentes. O canto costuma ser a melhor forma de ter certeza da identificação, embora nem sempre seja fácil distingui-lo.

Para a obtenção de identificação com estrita segurança e confiabilidade necessita-se do auxílio da vocalização(ouvir ou gravar a voz). Estas espécies crípticas somente poderão ser identificadas em campo, no local, não há uma mínima possibilidade da aplicação da comparação visual através de registros fotográficos. Esta assertiva é de difícil aceitação pelos observadores que fazem seus registros.

elaenea

clique

Publicado em Espécies
Sábado, 09 Outubro 2010 17:41

Enferrujado - Lathrotriccus euleri


enferrujadoA Enferrujado (Lathrotriccus euleri) é uma ave Passeriformes da família Tyrannidae.

Características

Mede aproximadamente 13,2 centímetro de comprimento. É um pássaro do interior de mata, observado a pouca altura do solo. Geralmente migra durante o inverno.

Registro feito no Parque Iguaçu

enferrujado7

 clique

Publicado em Espécies

Temos 113 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.