|BUSCA NOMES COMUNS|abcdefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish

Expedição São Luiz do Purunã

Avalie este item
(0 votos)

Reni, Roberto e LucianoApesar de ser verão, a temperatura estava baixa no domigo cheio de neblina. Combinamos com o Reni que o dia seria destinado a conhecer um lugar mágico, onde observaríamos aves que ocorrem em campos. Nosso destino seria a localidade de São Luiz do Purunã, município de Balsa Nova. Confesso que a semana toda ficamos ansiosos pela chegada do fim-de-semana, pois muitos amigos já falaram do local. Só não esperávamos que o lugar fosse o pedaço de paraíso que vimos. Hoje, convocamos todos os amigos de passarinhada a visitar esse local. Há muito tempo não tivemos a oportunidade de estar em um lugar tão lindo, que leva à contemplação. Quem nos recebeu nesse inicio de jornada foram os Quiri-quiris, que em número de três, descansavam pousados nos pinheiros próximos da estrada. Resolvemos adentrar ao campo e tentar nos aproximar para registrá-los. O terreno alagado dificultou nossa entrada, mas encontramos uma elevação de rochas próximo ao bando e ai os registramos.

Íamos rodando e ao encontrarmos alguma espécie ou cena que nos chamava a atenção, parávamos para registrá-los.  A cada metro que percorríamos, os pássaros faziam com quem parássemos. Assim foi com o Cochicho, que pousou em um arbusto à beira da estrada e posou para nossas lentes e com um vulto preto e branco que foi  pousar nos mourões. Tratava-se da Primavera, inconfundível com seus olhos vermelhos.  Arredia, somente permitiu que nos aproximássemos de dentro do carro, e de lá, conseguimos um ótimo registro. Vale ressaltar que vários outros indivíduos passaram em nosso caminho, mas não permitiram uma aproximação. O sol da manhã já se fazia forte e as aves aproveitavam para secar suas penas pousadas nos fios de eletricidade, como as andorinhas, que aos bandos revoavam as plantações de milho e soja. Ficamos todos encantados com as propriedades que de tão bem cuidadas e de uma beleza arquitetônica ímpar, nos fizeram lembrar as fazendas do interior da Europa. Numa delas, bandos de Curicacas, onde contamos cerca de 20 indivíduos, se reuníam nos gramados para procurar alimento. Nosso êxtase nesse ponto já era total quando em um ponto logo adiante, flagramos uma cena de grande fotogenia: Um Tico-tico-do-campo saíndo da plantação de soja com seu café-da-manhã  no bico, pousou próximo de nós e permitiu que fizéssemos um registro como nunca imaginamos fazer dessa ave.

Placa de indentificaçãoCombinamos que se continuássemos tão encantados com o que víamos em cada ponto, parando a todo momento, não iríamos chegar ao nosso destino. Decidimos então nos encaminhar  à parada final: A pousada Cainã. Local que só pela beleza e pela paz que transmite, já valeria a pena. Deixamos o carro nesse local e guiados pelo Reni, começamos a expedição a pé. Iniciamos a caminhada no campo próximo que descia em direção a um descampado. Imaginem o misto de emoção e ansiedade em querer encontrar as aves que nosso guia mencionou, como o Papa-Moscas e o Caboclinho. Onde essas aves estariam escondidas aguardando nossa chegada? Com esses pensamentos, iamos nos aproximando, mas como a melhor parte de uma passarinhada é sempre a surpresa que ela nos trás, ao olharmos para o céu, que de tão azul, parecia um quadro de Portinari, vimos a majestosa ave voando baixo em nossa direção. Seu vôo altaneiro prendeu nossa atenção por minutos. Seus desenhos sob as asas chamaram a atenção. Um Gavião-de-rabo-branco ainda jovem mostrou que essa espécie está preservada e consegue se perpetuar. A surpresa inicial sequer havia passado quando novamente do alto desceu outro falconídeo, uma Águia-Chilena,  esta já adulta. Incrível pensar que duas espécies estão dividindo o espaço sem que haja conflitos. Só até aqui, a passarinhada já valeu a pena e o que viesse após isso, seria o maior lucro. Continuamos pelos campos alagados e muitos Pintassilgos se alimentavam nos arbustos.  O Reni nos conduziu a uma área onde em outras oportunidades ele havia encontrado as aves que queríamos registrar. Nesse local, os campos possuem uma característica marcante: o terreno alagado! Vimos o quanto esse tipo de terreno possui o bem mais precioso da terra que é a água. Ela encharca o solo de tal maneira que nas regiões mais baixas formam córregos lindos e de água cristalina que descem através dos precipícios em forma de cachoeiras.

Um pouco antes de chegar, nossa terceira surpresa desceu do alto: Um Urubú-de-Cabeça-Vermelha! Há muito tempo queríamos ver de perto essa espécie e este foi mais um presente que este local nos ofereceu. Para ser completa, nossa expedição só precisava encontrar os dois espécimes que nos havíamos proposto.

Anda pra um lado, anda pra outro... chama os pássaros com play-back... nada!!! Onde foram parar os desejados pássaros? Parece que não seria dessa vez que registraríamos. Entretanto, o Caboclinho deixou que o admirássemos sem no entanto, conseguir um registro decente.

Diante de tudo isso, decidimos encerrar a passarinhada. Melhor deixar espécies sem registro, por hora, para que tenhamos um motivo para voltar mais vezes, pois como dissemos, todos os que puderem, visitem o local! Admirem o que a natureza caprichosa criou para que o homem aprenda o verdadeiro valor da beleza!

Quiriquiri

Cochicho 

Primavera 

bando de Curicacas

Tico-tico-do-campo

Gaviao-de-rabo-branco

Pintassilgo

Águia-chilena

Urubu-de-cabeca-vermelha

Luciano e Reni

Paisagem

Paisagem

Paisagem

Paisagem

Paisagem

Roberto e Reni

Luciano

Riacho entre as pedras

Equipe Passarinhando

Equipe Passarinhando

Lido 1882 vezes

Temos 31 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.