|BUSCA NOMES COMUNS|abcefgijlmopqrstuv
Portuguese English French German Italian Spanish

Passarinhada em Londrina 16 de dezembro

Avalie este item
(0 votos)

grupo_fazenda_colorado

O Luiz não pode nos acompanhar na sexta-feira. Contamos com o Renan  e  para nos guiarem à reserva da Fazenda Colorado. Uma mata bastante preservada e que abriga muitas espécies animais e um local onde mais registramos a presença de espécies de aves. A estrada que corta a reserva é bem conservada e nos permitiu chegarmos de carro até lá.

Iniciamos a observação em torno das 7 da manhã e fomos recepcionados pelos bandos de Maritacas-Verdes que voavam apressadas por entre as copas das árvores. E muitas dessas espécies vegetais são mesmo imponentes. Muitas das perobas que lá vimos cresciam majestosas projetando-se no topo da floresta. Muitas delas servindo de parada para as Jandaias-de-testa-vermelha. A trilha seguia e a cada metro uma novidade nos atraia a atenção. Ora era um casal de Beneditos-de-testa-amarela que bicavam os troncos à procura de refeição ora eram os Anambés-de-bochecha-parda e os Anambés-brancos-de-rabo-preto. O Renan nos levou a um ponto da trilha onde costumam ser observados os Tietingas. Uma pequena chamada e eles apareceram por entre as ramagens. Aves lindas e admiráveis, não possuem um colorido chamativo, mas sua plumagem branca e preta impressiona quem tem a sorte de avistá-la. É interessante comentar que o uso de playbacks atraem os ties-do-mato-grosso e optamos por não usá-lo. O Chocão-carijo foi outra espécie que ficava atravessando nosso caminho todo curioso, mas não permitiu uma boa posição para fotografá-lo. Chegamos ao final da trilha, que para nossa surpresa acabava em uma imensa plantação de soja. Pode parecer contraditório uma mata toda cercada de soja... e pensar que não há muito tempo atrás eram as plantações é que eram cercadas de mata!

parque_ecolgico_dr_daisaku_ikedaNo retorno, paramos para fazer nosso lanche, já que passava do meio dia. Nosso almoço teve que ser interrompido pois um pequeno  bando de Araçaris-poca pousaram em uma árvore próxima. Após o episódio dos araçaris, seguimos a trilha em direção à entrada da mata e durante a caminhada, observamos a presença do Limpa-folha-ocráceo. No começo da trilha existe uma vegetação mais baixa composta de bambus e capins, que são um atrativo para aves como a Choca-barrada que ficava pulando por entre os ramos. Nesse local avistamos a Marianinha-amarela que voava muito rápido mas que com paciência, conseguimos registrar.

Nossa missão na mata havia terminado e em nosso retorno, programamos nossa segunda parada do dia: O Parque Daissaku Ikeda que fica na metade do caminho. Esse parque guarda um charme especial pois ai fora construída uma pequena represa que em outros tempos gerava energia e hoje é uma área onde as pessoas vem contemplar a natureza. Em nossa chegada, observamos diversas Andorinhas-do-rio pousadas nos corrimões da ponte sobre a represa. Mas nosso objetivo nesse local era bem claro: Encontrar o Carão, aquele mesmo que vimos no parque do Lago Igapó. Segundo o Renan, seria fácil encontra-lo por entre a vegetação na beira do lago. Seguimos pela trilha dos Curimbas, margeando o lago. Logo no início, encontramos uma Choca-barrada fêmea que carregava folhas para a confecção do seu ninho. Logo adiante, fomos recompensados com um bando de cinco indivíduos se alimentando. O Carão foi nossa melhor recompensa nesse local. Ainda vimos mas sem possiblilidade de registro um Fogo-apagou que vocalizava muito na copa das árvores. Ao final da trilha, paramos para admirar a paisagem e descansar antes do retorno.

Diante da nossa sorte, decidimos encerrar a passarinhada e voltarmos, pois já ia tarde. Ah... nesse local também encontramos um charmoso telefone público em forma de garça!

parque_ecolgico_dr_daisaku_ikeda

parque_ecolgico_dr_daisaku_ikeda

abominavel-homem-da-soja

telefone_publico maitaca-verde jandaia-de-testa-vermelha
peroba_gigantesca benedito-de-testa-amarela tietinga
aracari-poca choca-barrada marianinha-amarela
andorinha-do-rio carao

Lido 1158 vezes

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites

Curitiba possui 30 Parques e cerca de 81 milhões m² de área verde preservada. São 55m² de área verde por habitante, três vezes superior ao índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 16m². No Brasil, é a cidade onde a Mata Atlântica é melhor preservada. 

Com aproximadamente 400 espécies identificadas na cidade, entre nativas, migratórias e exóticas, segundo livro publicado pela Prefeitura Municipal de Curitiba, iniciamos nossas passarinhadas nestes Parques, queremos lembrar que não se trata de um trabalho científico e sim o registro da nossa paixão pelas aves.


Hierarquia dos taxons pertencentes à classe Aves de todas as aves do Brasil baseada na lista de aves do Brasil de janeiro de 2014 do CBRO (Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico).

Os Textos são de consulta do site: http://www.wikiaves.com.br/.